Quando o “Design thinking” se torna inclusivo

Nunca esquecerei o som da risada dos meus amigos. Nunca esquecerei o som da voz da minha mãe antes de dormir. Nunca esquecerei o som relaxante da água correndo no riacho. Imagine meu medo, puro medo, quando aos 10 anos de idade descobri que iria perder a minha audição. O que aconteceu nos 5 anos seguintes até eu ser classificada como surda profunda.

Mas acredito que perder a audição foi um dos grandes presentes que a vida me deu. Isso porque aprendi a experimentar o mundo de uma única forma. E acredito que essas experiências únicas que as pessoas com deficiência tem é o que nos ajuda a construir um mundo melhor para todos –  para pessoas com e sem deficiência.

Continuar lendo

Anúncios