Somar com as diferenças

Por Ângela Maria Guimarães Freire

Olá pessoal,

A Talita, minha neta e amiga, sugeriu-me colocar neste blog de amor, as minhas sacações com uma compreensão psicológica, sobre o meu neto querido Carlos Henrique ou Caique, como o chamamos.

Sou psicóloga clínica, pós-graduada em “Psiquiatria Transpessoal”, “Integração: Corpo-Mente- Espírito-Matéria” e “Espiritualidade e desenvolvimento saudável e pleno em
Desenvolvimento Humano”.

Busquei transcrever aqui o que mais mexeu comigo, a partir de uma compreensão que venho desenvolvendo unindo ciência e espiritualidade.

Religando-se com o Ser Divino que somos

Quando nos religamos ao ser divino que somos,  aprendemos a nos ouvir e a falar conosco. Assim,  estabelecemos diálogos, sabendo ouvir e falar, o que requer um distanciamento do outro que permita olhá-lo de frente, nos olhos, buscando falar ao ser profundo que é.

Dessa forma, não nos apegamos à sua aparência, nem a sua fala externa, percebendo que é na sua diferença que se encontra o potencial que não desenvolvi. E também na minha diferença dele está o potencial que ele não desenvolveu.

É o ter olhos de ver e ouvidos de ouvir, que Jesus nos disse.

Um bom exemplo desta escuta e desta fala se encontra na minha relação com meu neto Carlos Henrique, portador da Síndrome de Down e outras deficiências e possui uma grande sensibilidade com uma incrível afetividade.

Caique, como o chamamos, não usa a racionalização, mecanismo de defesa tão comum entre os que tem desenvolvida a capacidade de raciocinar. Estes mecanismos encobrem o que realmente a pessoa está vivenciando, por não se aceitar nesta vivência.

Assim, buscando saber como lidar com ele em momentos em que se torna bravo, quando o deixamos de lado, sem dar-lhe a atenção que ele quer receber, orei, buscando o Eu Divino e foi quando o senti mais a fundo.

E aí falei-lhe que ele era um rapaz, o que realmente já era nesta época, e quem berra assim é criança. Caique silenciou de imediato e repetiu: Caique é um rapaz! E assim, sempre que ele berrava para chamar atenção, eu lembrava à ele que era um rapaz e ele falava todo
compenetrado, várias vezes, que era um rapaz. Parece que ele se sentiu valorizado, como todos nós precisamos nos sentir, mas costumamos reprimir ou mascarar esta necessidade.

E assim, aceitando humildemente sua necessidade de valorizar-se, tornou-se brando e amigo como costuma ser.

É esta valorização, que Caique também passou a expressar, quando começou a fazer pulseiras e bandejas. Como quando me deu uma bandeja que fez para mim! Como ele se doou por inteiro ao me entregar este presente! E também como ele se sente bem em fazer algo útil!

Aí, a sua mãezinha, minha filha, que se entrega com tanto amor nesta sua missão com este filho, que se revela um constante aprendizado, como tem me passado, é que poderá relatar melhor. Ainda mais que não tive a oportunidade de acompanhar de perto seu crescimento,
como o de seus irmãos, por morarem sempre muito distantes de mim. Atualmente residem em Brasília e eu em Resende. Ufa!!! Como senti esta distância! Mas quando
estamos juntos é muito bom!!!

O que tentei passar é o quanto Caique mobilizou a liberação da minha sensibilidade para entender a sua, tão a flor da pele! E o quanto tenho aprendido a ser mais verdadeira com ele, soltando mais a minha afetividade.

IMG_3222

Olha a avó se soltando e o Caique entrando na dela! São sensibilidades se encontrado!

Carlos Henrique é muito afetivo e sem máscaras! Sempre pronto a se doar! Acredito que temos muito que trocar um com o outro! Mas, me parece que tenho mais a aprender com ele, do que ele comigo, assim como o mundo precisa muito aprender com SERES ESPECIAIS COMO CAIQUE, QUE

SE DOAM SEM MÁSCARAS!

Um comentário sobre “Somar com as diferenças

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s